26.4.10

NADA COMO O TEMPO...




Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz

com uma outra pessoa, você precisa,

em primeiro lugar, não precisar dela.

Percebe também que aquele alguém que você ama

(ou acha que ama) e que não quer nada com você,

definitivamente não é o "alguém" da sua vida.

Você aprende a gostar de você, a cuidar de você e,

principalmente, a gostar de quem também gosta de você.

O segredo é não correr atrás das borboletas...

é cuidar do jardim para que elas venham até você.

No fianal, você vai achar não quem você estava procurando,

mas quem estava procurando por você!



P.S.Como já dizia o meu amigo Fernando Pessoa:



Não se acostume com o que não o faz feliz,

revolte-se quando julgar necessário.

Alague seu coração de esperanças,

mas não deixe que ele se afogue nelas.

Se achar que precisa voltar, volte!

Se perceber que precisa seguir, siga!

Se estiver tudo errado, comece novamente.

Se estiver tudo certo, continue.

Se sentir saudades, mate-a.

Se perder um amor, não se perca!

Se o achar, segure-o!

9 comentários:

Pelos caminhos da vida. disse...

O tempo é o melhor remédio para todos os males.

beijooo.

Fatima disse...

Seu Fernando é um bom conselheiro!
Bjs querida, já estava com saudades!

Livinha disse...

Andrea minha querida, quisera fosse assim, não precisarmos de ninguém e ninguém precisar da gente. mas a vida é feita de trocas e se deparamos com quem deseja a isto se dar, o caminho torna-se mais leve e o compartilhamento saudável. Porém o mundo ainda é muito egoista, por tornarmos seres interiorados, autosuficientes, achando que não precisa de ninguém, pessoas que não se dar, mas querem receber. Isto é comum dentro do ser, eis porque precisamos fazer nossas reformas intima, tornando-nos mais flexíveis e capazes de compreender que somente dar quem tem pra dar.
Saudades de ti minha querida e meus olhos brilham quando já te percebo a silhueta despontando no horizonte.
Deus te abençoe o dia, a vida e teu espírito na santa paz que te ilumina.

Bjs
Livinha

romantic disse...

cheguei aqui por indicação,lindo o seu post,sua familia é linda!
vou deixar aqui um bjo!!!volto...

Pelos caminhos da vida. disse...

Hoje à partir das 18 hrs, meu blog está concorrendo mais uma votação da Copa Blog, conto com seu voto amiga.Essa votação termina dia 05/05 e, depois aguardar a semi- final.

Meu blog é:

http://anamgs.blogspot.com

O site para a votação é esse aqui:

http://dado.pag.zip.net/

Caso não consiga acessar por aqui, o link está no final do post atual meu.

Desde já fico-lhe grata.

Uma semana de muita luz.

beijooo.

Chris Amag disse...

Querida, Andréa!

Gostei muito do seu texto, precisava mesmo ler algo assim hoje, estou precisando cuidar do meu jardim...

Mais uma vez, você se superou!

Beijos

Chris Amag

Pelos caminhos da vida. disse...

Profissão Mãe.


Uma mulher chamada Ana foi renovar sua carteira de motorista.
Pediram-lhe para informar qual era sua profissão.
Ela hesitou, sem saber como se classificar.

"O que eu pergunto é se tem algum trabalho", insistiu o funcionário.
"Claro que tenho um trabalho" exclamou Ana. "Sou mãe!"

"Nós não consideramos mãe um trabalho. Vou colocar dona de casa", disse o funcionário friamente.

Não voltei a lembrar-me desta história até o dia em que me encontrei em situação idêntica. A pessoa que me atendeu era obviamente uma funcionária de carreira, segura, eficiente, dona de um título sonante.

"Qual é a sua ocupação?" perguntou.
Não sei o que me fez dizer isto. As palavras simplesmente saltaram-me da boca para fora: "Sou Doutora em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas."

A funcionária fez uma pausa, a caneta de tinta permanente a apontar pra o ar, e olhou-me como quem diz que não ouviu bem.
Eu repeti pausadamente, enfatizando as palavras mais significativas.

Então reparei, maravilhada, como ela ia escrevendo, com tinta preta, no questionário oficial.

"Posso perguntar" disse-me ela com novo interesse "o que faz exatamente?"

Calmamente, sem qualquer traço de agitação na voz, ouvi-me responder: "Desenvolvo um programa de longo prazo (qualquer mãe faz isso), em laboratório e no campo experimental (normalmente eu teria dito dentro e fora de casa).
Sou responsável por uma equipe (minha família), e já recebi quatro projetos (todas meninas).
Trabalho em regime de dedicação exclusiva (alguma mulher discorda?).
O grau de exigência é a nível de 14 horas por dia (para não dizer 24)"

Houve um crescente tom de respeito na voz da funcionária, que acabou de preencher o formulário, se levantou, e pessoalmente abriu-me a porta.

Quando cheguei em casa, com o título da minha carreira erguido, fui recebida pela minha equipe: uma com 13 anos, outra com 7 e outra com

Do andar de cima, pude ouvir meu novo experimento - um bebê de seis meses - testando uma nova tonalidade de voz.
Senti-me triunfante!

Maternidade... que carreira gloriosa!

Assim, as avós deviam ser chamadas Doutora-Sênior em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas, as bisavós Doutora-Executiva-Sênior em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas e as tias Doutora-Assistente.

Uma homenagem carinhosa a todas as mulheres, mães, esposas, amigas, companheiras, Doutoras na Arte de Fazer a Vida Melhor!

(Marcelo Dias).

beijooo.

Giane disse...

Ah, que post inspirador!
Amei!
Uma rajada de ar fresco e puro...

Beijos mil, Andrea!!!

Notas & Notícias disse...

O mar e a lua são os maires inspiradores dos poetas.

Bj