14.6.09

Martha Medeiros



PEDAÇOS DE MIM


Eu sou feito de Sonhos interrompidos,
detalhes despercebidos amores mal resolvidos.
Sou feito de Choros sem ter razão pessoas no coração,
atos por impulsão;
sinto falta de lugares que não conheci,
experiências que não vivi, momentos que já esqueci.
Eu sou Amor e carinho constante, distraída até o bastante, não paro por instante;
já tive noites mal dormidas, perdi pessoas muito queridas,
cumpri coisas não prometidas; muitas vezes eu desisti, sem mesmo tentar pensei em fugir para não enfrentar, sorri para não chorar. Eu sinto pelas Coisas que não mudei, amizades que não cultivei, aqueles que eu julguei, coisas que eu falei. Tenho saudade De pessoas que fui conhecendo, lembranças que fui esquecendo, amigos que acabei perdendo; Mas continuo vivendo e aprendendo.

7 comentários:

Livinha disse...

Repor, colher, o tentar novamente, o refazer, o reaver...
As ofertas doadas como sabias viver
Sem outra maneira, ou outro jeito,
tudo conforme o teu saber...
Mundanças, tudo a seu tempo,
sendo ou não a contento, é a receita do viver.
Abrace então a saudade, pois que
recordar é reviver..
Sabe Andréa, eu te entendo, me vejo e não me contento mas o que se há de fazer?

Amo teus escritos..
Bjss

MEU MUNDO E NADA MAIS... disse...

Livinha obrigada pelo carinho.

Livinha disse...

Minha linda amiga,
sabe que me afinizei com você?
Tens em ti, muitas coisas minhas
que sinceramente jamais daria a você...
Essas partes minhas,
quisera eu nunca viver,
mas são as más traçadas linhas
que foram adicionadas, sei lá por que!
Mas te vejo e te sinto, por estar
no teu mesmo barco, ou até um barco
parecido...
Tenbho medo do saber...
mas lá nos meus escritos, vc já deve ter percebido..
Minha história, dantes até tão
bonita e hoje já não mais posso viver...
Andréa seja feliz minha querida,
a vida nos oferta, mas quando a gente
levita, é possível ver...
Me emocionei, por ter te feito algum bem em minhas palavras ao vento quando ainda busco o discernimento...
Bjss
Amo você sabia?

Fatima disse...

Andreia,

A Cigarra

Tantas vezes me mataram
Tanta vezes eu morri
Mas agora estou aqui
Ressuscitando

Agradeço ao meu destino
E a essa mão com um punhal
Porque me matou tão mal
E eu segui cantando

Cantando ao sol
Como uma cigarra
Depois de um ano embaixo da terra
Igual a um sobrevivente
Regressando da guerra

Tantas vezes me afastaram
Tantas reapareci
E por tudo que vivi
vivi chorando

Mas depois de tanto pranto
Eu aos poucos percebi
Que o meu sonho não tem dono
E segui cantando

Cantando ao sol
Como uma cigarra
Depois de um ano embaixo da terra
Igual a um sobrevivente
Regressando da guerra

Tantas vezes te mataram
Tantas ressuscitarás
Tantas noites passarás
Desesperando

Mas na hora do naufrágio
Na hora da escuridão
Alguém te resgatará
Para ir cantando

Cantando ao sol
Como uma cigarra
Depois de um ano embaixo da terra
Igual a um sobrevivente
Regressando da guerra

Renato Teixeira

Bjs.

Elaine disse...

Olá!
Bom dia!
Estou passando para conhecer seu blog um pouco melhor.
Também para desejar um semana linda, com muitas coisas boas.

Beijos e fique com Deus.

Patrícia Ribeiro Costa disse...

Olá,
o blog até tá bonitinho, mas ainda não tádo jeito q quero...rsrs
Não se preocupe coma confusão, já me segui uma vez tbm....rsrs
Faz assim: painel-exibir perfil-gerenciar blogs que acompanho(abaido de blogs que acompanho)- aí vc pode excluir, editar, adicionar mais e deixar de se acompanhar...rs

Seu blog a cada dia que passa tem ficado mais fascinante. Parabéns :)

Bjs

Patrícia Ribeiro Costa disse...

olá...
que bom que deu certo.
to tentando te acompanhar, mas tá falando que to bloqueada.
Vê se lá onde te falei tem opção de desbloquear.
bjs